home not�cias an�lise quem � quem ABTV

acesse aqui a versão padrão

Indústria | 05/06/2019
Citroën comemora 100 anos de fundação
A Citroën comemora nesta semana 100 anos de fundação. A marca foi criada por André Citroën na França e seu primeiro veículo foi o Type A, com motor de quatro cilindros e 1.323 cc, capaz de atingir 65 km/h de velocidade máxima. Um ano depois do início das vendas o modelo já atingia 10 mil unidades.

Em 1924 a produção anual da empresa já chegava a 50 mil veículos por ano. E dois anos depois disso a empresa contabilizava 31 mil funcionários. Neste primeiro quarto do século 20, a Citroën já respondia por um terço de todos os veículos que circulavam na França.


Type A deu início à produção da Citroën em 2019. As linhas simples repetiam a fórmula adotada pela Ford no Modelo T, primeiro automóvel produzido em massa

O primeiro carro icônico da Citroën foi o Type 7 ou Traction Avant. Foi ele que difundiu o uso em grande escala da tração dianteira por suas vantagens ligadas aos custos de produção. O Type 7 também se destacava pela utilização de freios com acionamento hidráulico nas quatro rodas, suspensões independentes e motor com válvulas no cabeçote. Foi fabricado até 1957 e teve ao todo 750 mil unidades produzidas.


Traction Avant surgiu em 1934, antes do início da Segunda Guerra Mundial. Difundiu o uso da tração dianteira em larga escala e foi fabricado por quase 25 anos

Mas o modelo mais associado à marca francesa para aqueles que já passaram dos 40 anos de idade talvez seja o 2CV, que teve mais de 5 milhões de unidades produzidas. De acordo com a Citroën, os primeiros esboços do carro surgiram em 1936 e em 1938 foi mostrado o primeiro protótipo.

Em 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, a fábrica da Citroën de Quai de Javel foi bombardeada. Ali havia protótipos do 2CV e aqueles que permaneceram íntegros foram desmontados e escondidos. A apresentação do carro ao público ocorreu apenas em 1948.

Além da França o 2CV foi montado na Bélgica, Reino Unido, Espanha, Eslovênia e Portugal. Na América do Sul foi produzido na Argentina, Chile e Uruguai. Portugal foi o último país a deixar de produzi-lo, em 1990.


Sinônimo de Citroën, o 2CV foi montado em vários países, inclusive na vizinha Argentina, e teve mais de 5 milhões de unidades fabricadas

Outro modelo que vem sempre à cabeça dos fãs é o Citroën DS, apresentado em 1956 no Salão de Paris. Seu grande destaque era a suspensão hidropneumática, que elevava a altura da carroceria à posição normal quando o motor era acionado. Com linhas aerodinâmicas, novas tecnologias e desenho nada convencional, o carro teve 12 mil unidades encomendadas no primeiro dia do salão e 80 mil até o fim do evento.


Lançado em 1956 durante o Salão de Paris, o revolucionário DS (mais acima) teve 12 mil unidades encomendadas no primeiro dia do evento. Em 1990, com a abertura às importações, a Citroën se instalou no Brasil e trouxe o luxuoso XM, com desenho do estúdio Bertone e suspensões Hydractive

Em 1990 o Brasil voltava a permitir a importação de automóveis. Neste ano a Citroën tratou de estabelecer suas bases no Brasil e trouxe o XM, modelo bastante inovador lançado um ano antes na Europa. O XM trazia um novo tipo de suspensão batizado Hydractive, que combinava o sistema hidropneumático com recursos eletrônicos. O desenho refinado saiu do estúdio Bertone.

Até a PSA Peugeot Citroën erguer a própria fábrica no Brasil, em 2001 (em Porto Real, RJ), a Citroën trouxe vários modelos ao País como o compacto AX, os modelos ZX, Xantia e Xsara. O primeiro Citroën produzido em Porto Real foi o monovolume Xsara Picasso. Depois dele vieram o C3 (em 2003), o C3 Aircross (2010) e C3 Picasso (2011). Em 2018 teve início a produção do C4 Cactus.

A fábrica de Porto Real opera atualmente em dois turnos e emprega 2 mil trabalhadores. Clicando aqui você terá acesso a vários fatos e vídeos relacionados à montadora centenária.


Xsara Picasso começou a ser produzido em 2001, ano de inauguração da fábrica da PSA de Porto Real (RJ). Com bom espaço interno e interior versátil, concorreu com Renault Mégane Scénic e Chevrolet Zafira.

[ voltar ]