home not�cias an�lise quem � quem ABTV

acesse aqui a versão padrão

Indústria | 11/01/2018
Volkswagen e FCA comemoram exportação recorde em 2017
Quase metade do recorde brasileiro de exportações de veículos em 2017 foi construído por apenas duas fabricantes: juntas, Volkswagen e FCA (Fiat Chrysler Automobiles) foram responsáveis por 42,5% dos 724,6 mil automóveis e comerciais leves brasileiros vendidos no exterior, com robusto crescimento de 48,2% sobre 2016. O ano foi de recorde também para ambas, que cresceram bem acima da média, com vendas externas que superaram em mais de 50% as do ano anterior. A Volkswagen foi a líder com 163,3 mil unidades embarcadas e expansão de 52,1%, seguida pela FCA que mandou para fora do País 145 mil veículos produzidos aqui, em alta de 55%.

A Volkswagen já era a maior fabricante e exportadora de veículos da história do País, com mais de 3,6 milhões de unidades enviadas a 147 países desde 1970. Mas o desempenho externo melhorou substancialmente em 2017, com a consolidação da divisão sul-americana da companhia, que deu maior independência e foco aos negócios internacionais a partir do Brasil. As três fábricas brasileiras de veículos do grupo (São Bernardo do Campo, Taubaté e São José dos Pinhais) enviaram carros e utilitários leves para 15 países e foram responsáveis por 22,5% das exportações totais do setor no ano passado, com volume 56 mil unidades maior do que as 107,3 mil exportadas em 2016.

Por larga vantagem, Gol seguiu sendo o modelo mais exportado da fabricante, com 73.848 unidades embarcadas, ou 45% do total, seguido por Voyage (24.861), Saveiro (24.234) e Up! (20.850). E a Argentina continuou a ser o maior mercado externo, com 93.891 veículos ou quase 60% das exportações da Volkswagen do Brasil em 2017. A marca foi, pelo 14º ano consecutivo, a marca líder em vendas no país vizinho. Os outros maiores compradores da região foram México e Chile.

“Esse desempenho muito forte é fruto da estratégia de regionalização das operações na América do Sul, Central e Caribe. Com o olhar dedicado a esses mercados, conseguimos aumentar consideravelmente nossas exportações, oferecendo produtos desenvolvidos para atender às necessidades específicas dos consumidores desses países”, destacou em comunicado Pablo Di Si, presidente e CEO da Volkswagen América do Sul e Brasil.

O novo Polo produzido na fábrica Anchieta em São Bernardo do Campo (SP), lançado no Brasil no fim de 2017, já começou sua carreira externa, com 7.057 unidades embarcadas até dezembro para a Argentina, Chile e Paraguai. Com produtos mais modernos e tecnologicamente superiores, contando também a partir de janeiro com o Virtus (sedã derivado do Polo e construído sobre a mesma plataforma modular MQB), a Volkswagen espera melhorar ainda mais seu desempenho exportador em 2018. “A chegada do novo Polo aos demais países da região deve atrair novos consumidores, reforçando nosso volume de vendas. E com a chegada do Virtus vamos ampliar ainda mais a gama de produtos interessantes para esses mercados”, destaca Thomas Owsianski, primeiro vice-presidente executivo da Volkswagen para a Região SAM (América do Sul).

FCA SUPERA RECORDE DE 28 ANOS

Quando a Fiat (e desde 2014 FCA) instalou sua primeira fábrica no País, em 1976, já tinha o plano de exportar boa parte da produção, mas o crescente mercado brasileiro mudou a estratégia. Mesmo assim, no fim dos anos 1980 a empresa figurou entre os maiores exportadores do País: em 1989 saíram da fábrica de Betim (MG) para outros países o até então recorde de 106.870 veículos, embarcados principalmente para a Europa na época. Depois disso a prioridade mudou novamente e a marca perdeu fôlego externo.

Desde 2015 juntando forças produtivas com a moderna fábrica de Goiana (PE), onde nasceram os Jeep nacionais Renegade e Compass e a inédita picape compacta-média Fiat Toro, a FCA conseguiu formar um portfólio de produtos mais competitivos internacionalmente, assim bateu seu recorde de exportação a partir do Brasil que já perdurava 28 anos.

Em 2017, segundo a FCA, o foco estratégico se concentrou na expansão das vendas para a América Latina. Entre os modelos mais vendidos na região estão o Fiat Mobi (29 mil unidades exportadas), Fiat Strada (22,6 mil ), Jeep Renegade (19 mil ), Fiat Toro (17 mil ) e Fiorino (15,7 mil). Em 2018 o Argo feito em Betim e o Cronos a ser produzido na Argentina devem reforçar as vendas na região.

Além do tradicional intercâmbio comercial com a Argentina, a ofensiva exportadora da FCA na América Latina aponta também para mercados como México, Chile, Peru e Colômbia, entre outros.
[ voltar ]