home not�cias an�lise quem � quem ABTV

acesse aqui a versão padrão

Trabalho | 11/08/2017
Metalúrgicos param Ford no ABC em protesto a demissões
Os metalúrgicos da fábrica da Ford iniciaram uma paralisação na manhã da sexta-feira, 11, na unidade de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, em protesto as 364 demissões de funcionários que estavam em layoff e que receberam comunicado da montadora no dia anterior via telegrama. Segundo o sindicato local, foi decidido em assembleia que o setor de estamparia permanecerá inoperante neste dia, este que é o primeiro processo de manufatura da linha de montagem dos veículos. A ideia, segundo o sindicato, é dificultar o restante da produção.

De acordo com o coordenador do comitê sindical da empresa, José Quixabeira de Anchieta, há um acordo coletivo em vigor negociado e aprovado no fim de 2015 que garante estabilidade dos empregos até janeiro de 2018.

“Estávamos debatendo o futuro da fábrica e, de repente, vieram os telegramas. Os trabalhadores jamais irão aceitar demissões sumárias. É preciso que respeitem a história de luta dos metalúrgicos do ABC e da representação dos trabalhadores nesta empresa. Estamos abertos a dialogar com a empresa, mas enquanto não houver uma solução a luta vai continuar. Vamos fazer com que nos respeitem”, afirmou o coordenador em nota.

Em comunicado, a Ford informa que “nos dois últimos anos, adotou uma série de medidas para administrar o excesso de empregados decorrente da redução do volume de produção em São Bernardo do Campo, tais como PPE (Programa de Proteção ao Emprego, atual PSE), PDV (Programa De Demissão Voluntária), suspensão temporária do contrato de trabalho (layoff) e férias coletivas. Entretanto, devido à necessidade de adequar os níveis de mão-de-obra às demandas de mercado, estamos fazendo o desligamento dos funcionários da planta de São Bernardo do Campo que estavam em layoff”.

De acordo com o vice-presidente do sindicato do ABC, Paulo Cayres, que também trabalha na Ford, entre os 364 funcionários que receberam a notificação de demissão, há pessoas que têm mais de 20 anos de trabalho na montadora.

Ainda por meio de nota, o Sindicato informa que orientou os trabalhadores que receberam os informes de demissão a não assinarem a rescisão do contrato nesta sexta-feira, como era previsto pela empresa. A entidade disse que fará uma nova assembleia na próxima quarta-feira, 16, uma vez que a Ford já comunicou que manterá a fábrica parada nas próximas segunda e terça-feira (14 e 15).
[ voltar ]