home not�cias an�lise quem � quem ABTV

acesse aqui a versão padrão

Aftermarket | 13/07/2017
Mopar conclui centro de peças de R$ 15 milhões
A Mopar, empresa responsável por todo o pós-venda do Grupo FCA, inaugurou em Hortolândia (SP) um centro de distribuição de peças de 42 mil metros quadrados, onde investiu R$ 15 milhões. A nova instalação começou a operar no início do ano e sua integração total à rede de concessionárias foi concluída em junho.

O armazém abastecerá 400 concessionárias de oito Estados brasileiros, reduzindo de 4,3 para 2 dias o tempo médio de entrega em 80% dos casos. Vai atuar de maneira complementar ao centro de peças de Betim, que responderá pelos Estados restantes e exportações.

Integrados, ambos distribuem componentes de todas as marcas do grupo presentes no Brasil: Fiat, Jeep, Dodge, Chrysler e Ram. Até o começo do ano havia um centro de peças em Louveira (SP) que atendia somente as marcas americanas antes controladas pela Chrysler, mas este deixou de existir no primeiro bimestre com o início das atividades do novo depósito.

O próximo grande passo será atualizar o centro de peças de Betim. “Vamos adotar os mesmos padrões aplicados aqui”, afirma o diretor da Mopar para a América Latina, Francesco Abbruzzesi. A intenção é fazer as mudanças em 2018. Por causa de suas instalações mais antigas e por atender Estados com estradas mais críticas e malha aérea com menor frequência de voos, o centro de peças de Betim tem atendimento de 95% dos pedidos com tempo médio de 72 horas.


Instalação tem 42 mil metros quadrados e distribui 2 milhões de itens por mês. Sistema adotado facilita identificação e registro das peças (fotos: Mário Curcio e divulgação).

Hortolândia cobrirá São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre. “Seremos mais eficazes do ponto de vista logístico. Faremos entregas em 24 horas em um raio de 800 quilômetros. Teremos uma redução do tempo médio das entregas em 34% para as concessionárias”, informa Abbruzzesi. Com a experiência de quem já esteve na General Motors e na Citroën, ele garante que seus prazos estão entre os melhores da indústria local.

Para obter tamanha melhora no atendimento e redução dos tempos de envio, o executivo afirma que a Mopar trocou o foco "no" cliente pelo foco "do" cliente: "É como se estivéssemos sentados ao lado dele para entender melhor alguns pontos difíceis que ele tinha no relacionamento com a marca.”

O novo centro atenderá a 400 concessionárias entregando 2 milhões de itens todos os meses. Esse volume mensal é semelhante ao do centro de Betim, que tem o dobro da área. Juntos, eles suprirão uma rede de cerca de 700 concessionárias em todo o País. A escolha de Hortolândia ocorreu por sua proximidade com importantes rodovias, com o Aeroporto de Viracopos e o Porto de Santos. Abbruzzesi garante que o fato de a Magneti Marelli ter uma fábrica no mesmo município não influenciou na escolha: “Foi só um acaso”, diz.

O CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO EM NÚMEROS

A nova instalação é operada pela DHL, que tem um contrato de três anos com a Mopar, renovável automaticamente em caso de bom desempenho. Das 300 pessoas que trabalham no local, 290 estão a serviço dessa empresa de logística.

De acordo com a Mopar, as instalações de Hortolândia têm 78 mil posições e hoje abrigam 40 mil itens diferentes, que vão de parafusos a centrais multimídia. “Atualmente há 1,5 milhão de peças aqui, mas há capacidade para 10 milhões”, aafirma o gerente do centro, Glauco Izídio.

O local é abastecido diariamente por três transportadoras e há 17 docas de expedição. Durante o primeiro semestre começou a ocorrer a integração com a rede de concessionárias Fiat, ao mesmo tempo em que o local recebia peças vindas de Betim, dos Estados Unidos e da Europa.

As instalações e até os banners fixados do alto a baixo das prateleiras são muito parecidos com os existentes no centro de peças de Sorocaba onde estão reunidos os componentes da Iveco e das fabricantes de máquinas agrícolas e de construção do grupo.

No Brasil a Mopar passou a responder desde 2012 por toda a operação de pós-venda das marcas pertencentes à Fiat-Chrysler, o que inclui o atendimento aos clientes pelo 0800 (são 34 mil chamadas ao mês), a distribuição de peças e a criação de acessórios de personalização (mais de 1,2 mil) para os veículos Fiat e Jeep à venda no País.

“Lidamos com 340 fornecedores, dos quais 120 abastecem nossas linhas de produção”, garante Abbruzzesi. A marca Mopar fará 80 anos em agosto. Começou produzindo um líquido anticongelante para radiadores. Ao longo dos anos passou a abranger assistência técnica, peças e atendimento ao cliente.
[ voltar ]