home not�cias an�lise quem � quem ABTV

acesse aqui a versão padrão

Elétricos | 14/06/2016
Nissan desenvolve célula de combustível para bioetanol
A Nissan anuncia que está realizando pesquisas para desenvolver um novo sistema de célula de combustível a partir de energia elétrica gerada por bioetanol. O novo sistema SOFC, célula de combustível de óxido sólido (na sigla em inglês Solid Oxid Fuel Cell) é pioneiro no setor automotivo e consiste em uma célula que utiliza a reação de múltiplos combustíveis, incluindo o etanol e gás natural, com oxigênio para produzir eletricidade.

Em seu funcionamento, a célula de combustível e-Bio produz eletricidade por meio da SOFC como geradora de força, utilizando o bioetanol armazenado no veículo. A célula utiliza hidrogênio transformado em combustível por meio de um oxigênio reformado e atmosférico, com a subsequente produção de eletricidade da reação eletroquímica para alimentar o veículo.

Segundo a montadora, diferente dos sistemas convencionais, o e-Bio integra a SOFC como sua fonte própria de energia, proporcionando maior eficiência de energia para dar ao veículo autonomias similares às dos carros movidos a gasolina, com mais de 600 km. Além disso, suas características de condução distintas incluem condução silenciosa, partida linear e aceleração ativa, benefícios e confortos comuns de um veículo 100% elétrico.

Os sistemas de células de combustível utilizam químicas que reagem com o oxigênio, gerando energia sem a liberação de subprodutos. Combustíveis bioetanol, incluindo aqueles derivados da cana-de-açúcar e do milho, estão amplamente disponíveis em países da Europa, Américas do Norte, América do Sul e Ásia. De acordo com a Nissan, a célula de combustível e-Bio utilizando o bioetanol pode oferecer um transporte ecologicamente correto e criar oportunidades na produção regional de energia.

Quando a energia é produzida por meio de um sistema de célula de combustível, geralmente há emissão de CO2. Com o sistema de bioetanol, as emissões de CO2 são neutralizadas a partir do processo de cultivo da cana-de-açúcar que compõe o biocombustível, permitindo que haja um ciclo neutro de carbono, com aproximadamente nenhum acréscimo de CO2.

“No futuro, a célula de combustível e-Bio vai se tornar cada vez mais fácil de ser utilizada. O etanol misturado com água é mais fácil e mais seguro de ser manuseado que outros combustíveis. Ao mesmo tempo que removerá os limites para criação de uma infraestrutura totalmente nova, há enorme potencial de crescimento de mercado”, informa a Nissan em comunicado, acrescentando que os custos de funcionamento são baixos, uma vez que a célula de combustível e-Bio é um ajustável tanto para carros leves de passeio até veículos pesados.
[ voltar ]