home not�cias an�lise quem � quem ABTV

acesse aqui a versão padrão

Autopeças | 16/01/2014
Segurança reforçada em 2014 com certificação de peças
Veículos ainda mais seguros. É o que se espera para 2014, quando entra em vigor a Portaria 301 do Inmetro, que determina, a partir de 21 de julho próximo, a obrigatoriedade de certificação para a comercialização no mercado nacional de diversas autopeças e componentes automotivos, como amortecedores, bombas elétricas de combustível, pistões de liga leve de alumínio, pinos e anéis de trava, anéis de pistão e bronzinas, entre outros. Somente permanecerão no mercado – para a tranquilidade dos proprietários de veículos – aqueles que tiverem a chancela do Inmetro, principal órgão de metrologia, qualidade e tecnologia do Brasil.

A portaria do Inmetro assegura que todas as linhas de produção das autopeças estejam de acordo com as suas exigências e normas para a fabricação de componentes que serão comercializados no País.

A nova legislação significa um avanço importante para o País, onde a segurança automotiva infelizmente não caminha no mesmo ritmo e agilidade dos mercados desenvolvidos. Também ainda persiste entre muitos motoristas a cultura de que alguns itens de segurança são artigos de luxo, portanto, dispensáveis. Essa visão equivocada começa a ser mudada por medidas recentes do governo que abrem uma perspectiva positiva, como esta certificação do Inmetro e a obrigatoriedade de airbag e freios ABS em 100% dos veículos vendidos no Brasil.

Para que o consumidor tenha noção da gravidade, basta saber que veículos com baixos níveis de segurança têm participação ativa em acidentes. No Brasil, morrem cerca de 40 mil pessoas por ano no trânsito, de acordo com o Mapa da Violência divulgado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos. Muitas dessas mortes poderiam ser evitadas com o maior uso de itens de qualidade assegurada e modernos sistemas de segurança.

Por essas razões, o cuidado com a qualidade das autopeças contribui fortemente para a melhora de um quadro vergonhoso para o Brasil. Empresas engajadas não precisam aguardar legislações para estar de acordo com as necessidades da segurança veicular. As fabricantes do setor devem ser as primeiras a adotar atitudes responsáveis e estar atentas às necessidades de segurança automotiva.

O consumidor, portanto, deve ficar atento ao adquirir produtos nas revendas e, sobretudo, para não ser atraído pelos preços do mercado paralelo, visto que amortecedores ou outros componentes sem garantia do Inmetro ainda poderão ser comercializados até julho de 2014. Motoristas mais conscientes e ativos resultam em um trânsito mais seguro.

* Nilton Durães é gerente de engenharia de produto e treinamento da Tenneco, fabricante dos amortecedores Monroe
[ voltar ]